Livro · Para pensar · Poesia · Sentimento · Verdades · Viver

A Linguagem das Flores

A linguagem das flores, primeiro livro de Vanessa Diffenbaugh, é um relato acurado dos mistérios do coração.
Você nunca mais vai olhar para as flores do mesmo modo.

Esse livro me fez compreender milhões de coisas, a dificuldade que tive em apreender a amar, os medos que ainda tenho do desconhecido,
a vontade de querer e ter algo que sempre me assustou muito, que é o amor. Ele é tão desejado mas temido, mas se a gente não se permitir nunca irá sentir …
A Victoria me ensinou que mesmo sem nunca ter sido amada, podemos aprender a amar, e que sim seremos amadas. Uma coisa é certa, como diz meu terapeuta
” Quem tem medo, não tem nada!”
“Talvez os indiferente, os rejeitados, os mal-amados pudessem aprender a dar amor com tanta abundância quanto qualquer outra pessoa.”

By Si Schurhaus

Anúncios
Amor · Livro · Música · Para pensar · Poesia · Saudade · Sentimento · Verdades · Viver

A Última Música – Nicholas Sparks

A Última Música – Nicholas Sparks é o livro que acabei de ler…
Um reflexão profunda de valores e sentimentos, creio que muitos sabem a dor de uma perda, mas quando
nos deparamos com a realidade do sentimento que isso realmente importa e como somos impotentes perante este sentimento, começar a valorizar coisas que de extrema importância como a de dizer TE AMO a quem infelizmente não podemos mais dizer…
mas é claro que existe milhões de formas de se falar, mas posso dizer que ficar somente em pensamentos e deixar de expressar esse sentimento tão lindo é a maior idiotice que podemos fazer, por isso quero deixar aqui escrito TE AMO!
E espero que você nunca deixa para depois as coisa mais importantes da sua vida que são as pessoas que amamos não saberem disso.

By Si Schurhaus 

Amor · Coração · Felicidade · Livro · Sentimento · Verdades · Viver

Alma Gêmea

“As pessoas acham que a alma gêmea é o encaixe perfeito, e é isso que todo mundo quer.
Mas a verdadeira alma gêmea é um espelho, a pessoa que mostra tudo que está prendendo você,
a pessoa que chama a sua atenção para você mesmo para que você possa mudar a sua vida.

Uma verdadeira alma gêmea é provavelmente a pessoa mais importante que você vai conhecer,
porque elas derrubam as suas paredes e te acordam com um tapa.
Mas viver com uma alma gêmea para sempre? Não. Dói demais.

As almas gêmeas só entram na sua vida para revelar a você uma outra
camada de você mesmo, e depois vão embora.”

Liz Gilbert

Felicidade · Livro · Para pensar · Pensamento · Viver

Uma Leitura

By Si Schurhaus

Há um bom livro, esse me faz viajar, imaginar um mundo existente
em um novo mundo para mim.
Livro, imaginação, verdades, flutuam em uma mente que não para, mas
quando lhe surgi com letras que embriagam, que me fazem parar no tempo,
para descobrir novos tempos.
Quando viajo no mundo de delírios e embriaguez de  escritores maravilhosos
e como viajo eu me delicio em momentos unicos, momentos meus, somente meus…
Com o livro eu navego em mundos distantes, caminhos em lugares que são inacessíveis,
nunca deixe de viajar nas loucuras imaginarias e verdadeiras das letras que fazem sua vida ser mais emocionante.
Ocupe seu tempo e sua cabeça com livros.

By Si Schurhaus

Amor · Blog · Coração · Felicidade · Livro · Sabedoria · Sentimento · Verdades · Viver

Fernão Capelo Gaivota, Richard Bach

By Nélio Filipe

Este livro conta a história de uma gaivota que não se conforma em passar
a vida em busca de alimento, disputando um peixe com o resto do bando…

Fernão quer mais, quer alçar largos vôos, aprender, evoluir…

Sendo assim, passa seus dias e noites tentando, e tentando mais uma vez,
até a exaustão, a perfeição do vôo…
Sendo diferente de todos os outros…..

“A maior parte das gaivotas não se preocupava em aprender mais do que os simples fatos do vôo
– como ir à comida e voltar. Para a maioria, o importante não é voar, mas comer.
Para esta gaivota, contudo, o importante não era comer, mas voar…
– Por que, Fernão, por que? – perguntava-lhe a mãe.
– Por que é que lhe custa tanto ser como o resto do bando?… Por que não come?…
– … Eu só quero saber,… é tudo (respondia ele)
… Há tanto que aprender!
… Em vez da monótona labuta de procurar peixes junto dos barcos de pesca,
temos uma razão para estarmos vivos! Podemos subtrair-nos à ignorância,
podemos encontrar-nos como criaturas excelentes, inteligentes e hábeis.
Podemos ser livres! Podemos aprender a voar!

Certa vez, as gaivotas reunidas o esperavam, e ele é chamado ao centro,
o que poderia significar duas coisas: grande vergonha ou grande honra, e pensava consigo mesmo:

“… não quero honras… Só quero partilhar o que descobri, mostrar a todos esses
horizontes que estão à nossa frente…

Mas, o Mais Velho, em nome da dignidade e tradição das gaivotas, profere o veredicto:
Fernão é expulso, desterrado para uma vida solitária, acusado de ser irresponsável…

Irresponsabilidade? Meus irmãos! Quem é mais responsável do que uma gaivota que descobre e
desenvolve um significado, um propósito mais elevado na vida?
Passamos mil anos lutando por cabeças de peixe, mas agora temos uma razão para viver,
para aprender, para descobrir, para sermos livres!…

Mas seus argumentos não surtiram efeito…
Fernão Gaivota passou o resto de seus dias sozinho, mas voou muito além dos Penhascos Longínquos.
A solidão não o entristecia. Entristecia-o que as outras gaivotas se tivessem recusado a acreditar na
glória do vôo que as esperava. Recusaram-se a abrir os olhos e a ver.
Aprendia cada vez mais… voou através de nevoeiros cerrados e subiu acima deles
para céus estonteantes de claridade… enquanto qualquer outra gaivota ficava em terra,
conhecendo apenas neblina e chuva…
O que outrora desejara para o bando tinha-o agora só para si.
Aprendera a voar e não lamentava o preço que pagara por isso.
Fernão Gaivota descobriu que o tédio, o medo e a ira são as razões por que a
vida de uma gaivota é tão curta, e, sem isso a perturbar-lhe o pensamento, viveu de fato uma vida longa e feliz.
Tempos depois …

…As duas gaivotas que surgiram junto às suas asas eram puras como a luz das estrelas…
– Muito bem. Quem são vocês?
– Nós somos do seu bando, Fernão. Somos suas irmãs…
Viemos para levar você para mais alto, para levá-lo para casa…

E Fernão Capelo Gaivota elevou-se com as duas gaivotas brilhantes como estrelas para
desaparecer num céu perfeitamente escuro.
Enquanto se afastava da terra e ultrapassava as nuvens, em formação com as duas gaivotas,
notou que o seu próprio corpo se tornava tão brilhante como os delas.
Em realidade, era o mesmo Fernão Capelo Gaivota que sempre vivera por detrás dos olhos dourados.
Só a forma exterior se modificara…
…A lembrança da sua vida na terra sumia-se….
Nos dias que se seguiram, Fernão verificou que neste lugar havia tanto para aprender
acerca do vôo como houvera na vida que deixara para trás. Mas com uma diferença.
Aqui as gaivotas pensavam como ele.
Para cada uma delas o mais importante na vida era olhar em frente e alcançar a perfeição…

– Onde estão os outros, Henrique?… Por que somos tão poucos aqui? No lugar de onde eu vim havia…
– … milhares e milhares de gaivotas. Eu sei – Henrique abanou a cabeça …
– A unica resposta que encontro, Fernão, é que você é um daqueles pássaros que se encontram num milhão.

Quase todos nós percorremos um longo caminho…
Tem alguma idéia de por quantas vidas tivemos que passar até chegarmos a ter a
primeira intuição de que há na vida algo mais do que comer…?

Mil vidas, Fernão, dez mil!
E depois mais cem vidas até começar a aprender que há uma coisa chamada perfeição,
e ainda outras cem para nos convencermos de que o nosso objetivo na vida é encontrar essa perfeição…
escolhemos o nosso próximo mundo através daquilo que aprendemos neste…

…Nunca deixem de aprender, de treinar e de lutar por compreender
cada vez e melhor o perfeito e invisível princípio de toda a vida…

Vê mais longe a gaivota que voa mais alto.

“FELIZ NATAL A TODOS”

Alegria · Amigos · Amor · Felicidade · Livro · Para pensar · Sabedoria · Verdades · Viver

Comer, Rezar e Amar

Quero deixar registrado que simplesmente amei, adorei, fiquei fascinada por este livro.
Como disse Hillary Clinton sobre este livro “Adorei Comer, Rezar, Amar”!
Me identifiquei por completo, pela busca da equiibrio, amor e Deus.

Este trecho do livro me marcou devido que fala sobre a FELICIDADE tema do meu blog:

“…As pessoas tendem a pensar universalmente que a felicidade e um golpe de sorte, algo que talvez lhe aconteça se você tiver sorte suficiente, como o tempo bom. Mas não é assim que a felicidade funciona. A felicidade é consequência de um esforço pessoal. Você luta por ela, faz força para obtê-la, insiste nela, e algumas vezes viaja o mundo à sua procura. Você precisa participar o tempo todo das manifestações de suas próprias bênçãos. E, uma vez alcançado um estado de felicidade, nunca deve relaxar em sua manutenção, deve fazer um esforço sobre-humano para continuar para sempre nadando contra a corrente rumo a essa felicidade, para permanecer flutuando em cima dela. Se não fizer isso, seu contentamento interno irá se esvair. É muito fácil rezar quando se está passando por um momento difícil, mas continuar a rezar mesmo quando a crise já passou é como um processo de selamento, que ajuda sua alma a se aferrar às coisas boas que conquistou.”

Elizabeth Gilbert

Livro · Música · Poesia · Sabedoria · Verdades

Escrever é esquecer

A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida.
A música embala, as artes visuais animam, as artes vivas (como a dança e a arte de representar) entretêm.
A primeira, porém, afasta-se da vida por fazer dela um sono; as segundas, contudo, não se afastam da vida
– umas porque usam de fórmulas visíveis e portanto vitais, outras porque vivem da mesma vida humana.
Não é o caso da literatura. Essa simula a vida.
Um romance é uma história do que nunca foi e um drama é um romance dado sem narrativa.
Um poema é a expressão de ideias ou de sentimentos em linguagem
que ninguém emprega, pois que ninguém fala em verso.

Fernando Pessoa